Guia Definitivo do CFTV

GUIA DEFINITIVO DO CFTV

O melhor e mais completo guia consulta e aprendizagem na área de CFTV.

Material ilustrado com explicações fáceis e simples de entender que permitem a qualquer pessoa aprender rapidamente os segredos do CFTV

2

Quer acessar um DVR pela Internet ?

Quando você  prentende acessar um DVR pela Internet a qualidade de imagem é inferior à de acesso local devido principalmente à velocidade do link que contratamos de uma operadora. Entender a razão desse problema é o tema desse artigo.

Roteador para acesso à Internet

Um modem ADSL permite conectar o DVR à Internet

Como já expliquei em outro artigo aqui no blog, a conexão ADSL tem suas limitações em relação à velocidade de transmissão pela Internet e para transmitir vídeo em alta qualidade é ainda mais complicado.

Vamos entender melhor os fatores que afetam a qualidade da transmissão pela Internet começando a estudar os tipos de acesso

Entendo acesso local e remoto

A primeira coisa que devemos saber é sobre os tipos de acessos pela rede, basicamente temos acesso local e acesso remoto.

1

ACESSO LOCAL

Quando acessamos o DVR que está conectado a um switch ou roteador dentro de casa ou de uma empresa. No mesmo lugar que estamos.

2

ACESSO REMOTO

Quando acessamos o DVR a partir da Internet, ou seja, não estamos dentro de casa ou dentro de uma empresa no momento.

Na opção número 1, temos uma grande largura de banda disponível, então podemos transmitir vídeos do DVR para um computador em alta resolução e com alta taxa de quadros por segundo (FPS). 

Na opção número 2, temos limitação na largura de banda disponível, pois dependemos do link de Internet que compramos de uma operadora, então não podemos transmitir vídeos com a mesma configuração de qualidade da opcão número 1.

Então é natural que ao acessar um DVR pela Internet a qualidade do vídeo visto remotamente, seja inferior à da visualização local, e isso podemos explicar para um cliente culpando a Internet 🙂 

Exemplo de rede local e remota

Acesso remoto ao DVR

Observe que ao conectarmos o DVR (1) ao roteador (2) a velocidade disponível nas portas de ambos é de 100Mbps muito mais que o necessário para a transmissão de vídeo de alta qualidade.

Do roteador (2) ao computador (2) a velocidade disponível nas portas de ambos também é de 100Mbps.

Do roteador à Internet começa nossa preocupação com a velocidade do link que compramos de uma operadora como por exemplo 10Mbps

Uma pessoa utilizando o computador na rede local (3) verá o vídeo com mais qualidade do que outra pessoa utilizando o laptop que está na rede remota (5) devido à velocidade limitada da Internet. 

Se está gostando do artigo, clique antes de continuar


O tamanho real de um link de Internet

A velocidade do link que compramos para acessar um DVR pela Internet pode variar muito dependendo da tecnologia utilizada pelas operadoras, como por exemplo o ADSL ou cabo.

Outro fator importante também, é o serviço que contratamos que pode ou não garantir a velocidade mínima do link em diferentes horários.

Em determinadas situações, a operadora pode ser diferente onde temos localizado o primeiro  e o segundo roteador, também pode variar a velocidade máxima do links oferecidos.

Para ter certeza do tamanho real do link devemos fazer um teste

Primeiro vamos medir a velocidade onde está localizado o DVR (2):

Velocidade de Download

Velocidade medida com o speedtest.net

Veja no teste acima a velocidade do link medida onde está o DVR mostra que o Upload é de 8.25 Mbps.

Para o link utilizado onde está o DVR (1) o mais importante é ter alta velocidade de Upload pois ele irá subir (UP) vídeo para a Internet.

Velocidade de Upload

Agora vamos medir a velocidade onde está localizado o laptop (5) que irá receber as imagens do DVR através da Internet.

Velocidade de Download

Velocidade medida com o speedtest.net

Para o laptop (5) que está no outro lado da Internet, o mais importante é ter alta velocidade de Download pois ele irá baixar (Down) vídeo da Internet.

Velocidade de Download

A velocidade de Download para o link onde está o laptop está próxima ao valor do Upload do outro lado e isso é muito bom.

Na maioria das vezes o link é menor do que contratamos e isso pode trazer problemas se não temos certeza da velocidade real

Esse problema ocorre mais com o serviço ADSL das operadoras.

Agora que já sabemos que a velocidade do link é importante, também devemos entender o roteamento da rede local para a remota.

Para não termos informação em excesso, vamos discutir esse assunto em um próximo artigo aqui nesse Blog. Fique ligado. 

  • 25 de novembro de 2015
  • Redes
Claudemir Martins
 

Meu nome é Claudemir Martins, nascido em uma pequena cidade no interior de São Paulo. Me profissionalizei em redes de computadores e CFTV, atualmente moro nos Estados Unidos e trabalho para uma das maiores empresas do mundo viajando pela América Latina e Caribe ministrando treinamentos.

Deixe um comentário 2 comentários
Oton - 2 de dezembro de 2015

Claudemir, parabéns pelo artigo. Pois é, temos que considerar nos projetos sempre a velocidade de upload e prever um devido desconto, pois se trata de velocidade máxima e no melhor dos cenários (ninguém acessando em paralelo, melhor horário do dia, baixa densidade de clientes no ISP, etc). Por exemplo, aqui em Salvador a GVT de 15 Mbps tem upload de 1 Mbps. Isso está bem abaixo do throughput necessário para uma única câmera ip de 1.3 mega pixel.

Responder
    Claudemir Martins - 2 de dezembro de 2015

    Olá Oton,

    Excelentes considerações, na maioria das operadoras eu notei um upload em média com 1/8 do download contratado.
    Para uma câmera de 1.3MP por exemplo, o ideal é gravar localmente em alta resolução e alta taxa de frame rate e transmitir pela Internet com um segundo perfil com essas características reduzidas, isso se tornou bem comum devido à largura de banda insuficiente.

    Para projeto profissionais também há a opção de contratar uma MPLS que vai garantir as taxas de download e upload.

    Responder

Deixe uma resposta